Idioma

+18

Alguns posts desse Blog podem ser recomendado para maiores de 18 anos devido ao conteúdo explicito;

5 de out de 2012

O Cheiro do Ralo (2002) (Lourenço Mutarelli)

 O Cheiro do Ralo (2002) (Lourenço Mutarelli) Relembrando artes do passado por Francesco Castrelly espisódio n°49: Basta dizer que as coisas aqui ditas se tratam de minha opinião então não se ofendam se não concordarem comigo.


 Muito bem, as pessoas em geral e principalmente o  povo Brasileiro não gostam de ler, eu particularmente gosto muito, e tenho lido bastante ultimamente, se me perguntassem qual livro eu indicaria que fosse um pequeno resumo, do cidadão brasileiro e fosse de leitura eu diria para lerem o "Cheiro do Ralo" talvez pelo nome do livro vocês podem achar que eu estou sendo ofensivo mas em parte sim e em parte não. O Cheiro do Ralo foi o romance de estréia do já   consagrado cartunista que fez obras de artes das histórias em quadrinhos com clássico como Diomedes, o astronauta Lourenço Mutarelli, e é um livro que quando a gente lê sente aquela sensação maravilhosa ao acabar. Ele é tão fácil de ler que eu o li em menos de 16 horas, e boa parte dessas 16 foi no trampo quando não tinha nenhum cliente. 

 É impossivel falar desse livro sem revelar alguns Spoilers então se você é aquele tipo de pessoa que gosta de 100% de surpresa quando for ler ou assistir algo, não leiam esse post. Pode soar estranho ou até mesmo assustador mas o enredo desse livro é um exatamente o titulo: Um Ralo de Banheiro (WTF) o livro fale sobre o Protagonista, eu digo isso porque ninguém no livro tem nome por motivos propositais que irei dizer daqui a pouco. Todas as pessoas do livro são referidas por algo tipo: A moça da lanchonete, o cara do violino, o cara do relógio. Bem o nosso herói (Se é que devemos chamá-lo assim) é um homem, que muita gente fala que é amarelo, e que se parece com o cara dos comercias do bombril. Ele trabalha num prédio desses de conjunto, que compra coisas usadas, com ose fosse uma livraria de sebo mas no caso dele ele compra qualquer coisa, desde de que ele queira. E como diz a natureza do negócio ele tem que comprar o produto pelo valor mais baixo possível e como já se acostumou durante anos de trabalho a não sentir pena de seus clientes, ele é um tipo de pessoa que trata as pessoas que vão lá muito mal. Acontece o seguinte: Vocês devem estar se perguntando o que isso tudo tem haver com o cheiro do ralo. Bom, ele acusa seu mal humor ao cheiro horrível que vem do ralo do banheiro de sua loja, coisa que faz questão de anunciar a qualquer pessoa que vai lá (O Cheiro que você ta sentindo é do ralo, que fedor né? Deve ser do ralo etc...) e nesse termo, ele se apaixona por uma bunda de uma garçonete (A bunda mesmo) pois inicialmente ele achava a moça sem graça mas ao ver aquela bunda farta só ia para lanchonete vê-la, e a lanchonete servia um lanche horroroso, que sempre lhe caia mal, e o fazia contestar se não era isso que estava ajudando o ralo a feder mais. O livro retrata o seu processo de enlouquecimento, de não ver as pessoas como seres humanos mas sim como mercadoria, por isso que ninguém no livro tem nome. Ele nem ao menos consegue decorar o nome da moça da lanchonete que tanto o encantou dizendo (Eu não seria capaz de pronunciar esse nome) e logo quando ele associa que o cheiro do ralo, que o fazia ser tão durão que fez com que ele alcançasse um certo sucesso em sua vida, ele passa a cheirar o ralo, e começa a fazer coisas absurdas. Ele compra um olho de vidro pelo qual se encanta, e faz questão de mentir a todos que foi o olho de seu pai que morreu na segunda guerra mundial. Ele paga caríssimo pelo olho mas não quer pagar muito menos para consertar o cheiro do ralo que agora o agrada. E logo, passa a comprar as pessoas, mulheres para ser mais especifico, exigindo favores sexuais, em troca do dinheiro, então ele começa um jogo com seus clientes, e nem se passa pela cabeça dele o quanto que soa ruim explorar pessoas num momento de necessidade financeira e isso passa a se voltar contra ele. Quando ele supostamente se apaixona por uma mulher (Não é a da lanchonete) mas percebe que ela só esta afim do dinheiro dele, isso o torna mais frio ainda, nem a moça da lanchonete se demonstrando apaixonada por ele a ponto de lhe dar qualquer favor sexual mesmo de graça, o faz desistir da ideia de comprar (Eu não quero casar com essa bunda, eu quero comprar ela para mim) diz ele. E o desfecho vai ficando cada vez pior para seus atos. Que nem a viciada em drogas que para satisfazer suas taras ele a faz tirar a roupa em troca do dinheiro já que ela não tem mais nada para vender. E isso começa a se provar que de nada adianta o dinheiro todo que ele tem se ele não tem o afeto de ninguém, todos o odeiam todos acham que ele abusa dos pobre etc... Se falar mais que isso estarei contando o livro todo. Leiam, garanto que não vão se arrepender.
 O Cheiro do ralo foi adaptado para o cinema em 2007 por Heitor Dhalia, o filme é muito bom mesmo acreditem. Um filme que merece uma resenha só dele e com certeza em breve o farei. O Filme é totalmente fiel ao livro, alias um dos mais fiéis que já vi. Somente por uns meros detalhes. Selton Mello faz o papel do protagonista, que no filme ganha um nome "Lourenço" com certeza uma homenagem ao escritor. Bom Selton Mello, não é careca nem se parece com o cara dos comerciais do bombril, alias este perfil está mais para o Lourenço Mutarelli do que para Selton Mello, alias fisicamente Mutarelli fez o protagonista pensando nele mesmo. Mas foi o seguinte, quando Selton Mello ficou sabendo que o Heitor iria adaptar o cheiro do ralo, leu o livro e gostou tanto que se ofereceu para o papel. O que com certeza foi perfeito. Eu nunca tinha visto o Selton Mello fazendo o papel de um cara sério e ficou perfeito e as doses de humor negro do filme são divertidíssimas, ótima escolha. Outras pequenas diferenças, o segurança que no filme é interpretado pelo próprio escritor do livro "Lourenço Mutarelli" segunda forma de homenagem, tem um destaque muito grande, obviamente sabemos porque. No livro o segurança quase não aparecia, mas foi perfeito aquela coisa dele com o terno vinho. Outra pequena infidelidade foi a moça que o protagonista se apaixona, isso não mostra no filme, ela até aparece, mas numa cena de sexo oral, que se você ler o filme achará que ela é só mais uma entre as que o "herói" compra. Leiam, assistam o filme, façam isso em qualquer ordem mas façam. Vale muito a pena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Detonado Completo do Manhunt

Detonado Completo do Manhunt
Detonado completo do Manhun (Para ver os primeiros clique em postagens antigas)

Edvander Santos

Edvander Santos
Aqui alguns videos meus tocando guita